Header Ads


Base governista esvazia Plenário da ALE-AM e já sinaliza recesso branco


O presidente da Assembleia Legislativa, deputado David Almeida (PSB), já disse que não admitirá que o Plenário Ruy Araújo seja esvaziado durante o período eleitoral, e já sinaliza punições

Na luta para não deixar que o recesso branco se instale na Assembleia Legislativa do Amazonas, durante o período eleitoral onde os parlamentares buscam a reeleição, uma cadeira em Brasília ou mesmo o Palácio do Governo, o presidente da Casa deputado David Almeida (PSB), terá que ter pulso firme na condução dos trabalhos e jogo de cintura para segurar a base do governador Amazonino Mendes (PDT) nas sessões plenárias, que acontecem regimentalmente de terça as quintas-feiras.

Na sessão desta terça-feira (22), David já teve uma prova de que não será fácil cumprir a promessa, feita antes de começar a corrida pelos votos. 

Sem quorum suficiente, durante a votação de mais de nove Projetos de Lei e duas Mensagens Governamentais, David teve que encerrar a sessão e saiu do Plenário Ruy Araújo, após um discurso indignado.

Durante sua fala, o parlamentar destacou que a falta de quorum é um desrespeito com a população, e que vai analisar junto ao Regimento Interno, as punições que serão aplicadas aos gazeteiros. Ele apontou a base governista, como a responsável pela situação.

“Deveriam renunciar a seus cargos. Sequer pedir votos, somos pagos e bem pagos para estar aqui, especialmente nesses três dias”, reclamou David Almeida.

Ele, que é candidato majoritário do Partido Socialista Brasileiro (PSB), ao Governo do Estado, disse à imprensa que não abre mão de cumprir com os trabalhos de plenário e da continuidade das votações durante os 45 dias de processo eleitoral.

O esvaziamento do Plenário aconteceu durante a discussão do Projeto de Lei apresentado pelo deputado Sabá Reis (PR), que tratava da denominação do Bumbódromo de Parintins. 

A proposta acabou sendo retirada de pauta, por Sabá que ficou chateado com as manifestações contrárias de alguns colegas, que discordavam da sua tentativa de colocar o nome de Raimundo Muniz, no local.

Após a saída de David, ficaram no Plenário apenas os deputados; Platiny Soares (PSB), Serafim Corrêa (PSB), Alessandra Câmpelo (MB), Mário Bastos (PSD), Sinésio Campos (PT), Cabo Maciel (PR), Carlos Alberto (PRB) e Augusto Ferraz (DEM).

Nenhum comentário:

Mídia Social Ronaldo Aleixo . Tecnologia do Blogger.